O que verdadeiramente é

•Agosto 23, 2008 • Deixe um Comentário

As vezes eu pressinto que tudo vai dar errado. Pessimismo que me corrói de dentro pra fora. A sombra que vejo a cada dia aumentar, se reflete na luz que vem de cima me impedindo de enxergar. Talvez precise de tempo para me adequar para o que verdadeiramente sou. Angústia que contrai expectativas e de um texto nasce a esperança. A paz na solidão me comove, deve ser isso que busco sempre que escrevo. Paz interior, felicidade em dizer o que penso e ao mesmo tempo não ter certeza se é exatamente isso. Quem vai entender?

Um choro de alegria por pôr a tristeza pra fora. Mas sem a platéia para se comover, de nada me adianta, caso eu escreva mais para os outros sentirem do que eu me entender.

De uma coisa sei. É o medo que me preocupa. O medo de a união não prevalecer, do amor não ganhar do ressentimento e do rancor. O que me faz falta, é o que talvez possa vir futuramente. Mas na minha mente, eu já o trouxe para o presente. A ansiedade me mata, a cada dia ela se propaga. Diante de todos eu escondo o que verdadeiramente me incomoda, pois mesmo se fosse revelado, de nada adiantaria além de eu ser contrariado.

O amor de amizade

•Agosto 15, 2008 • 1 Comentário

 

Se você perceber o sentimento que eu tenho por você, não o deixe escapar.

Você não sabe o que é o meu amor. Amar é algo incompreensível de tão belo e prefeito que é.

 

Ser você não deve ser fácil, mas imagine-se no meu lugar, você iria gostar? Veja com os meus olhos, o que eu vejo em você, talvez acredite que eu realmente ame seus traços. Se talvez um dia você se preocupar em entender, eu estarei aqui pra te fazer sentir, pois explicar, não dá. Sabe quando você pensa em alguém e ele não está ali do lado? Então, é o que se passa. Num mar distante um do outro, a correnteza te afasta pra longe de mim.

Mas nossa amizade permanece sem fim, pois não precisa estar perto pra se gostar e nem tão longe para te amar. Amizade pode ter barreiras, pode ter muralhas e até fortalezas, mas tem algo que te dá asas pra voar e então poder me encontrar. Asas de alguém que se da o nome de amor. O amor protegido por armaduras, suporta doenças e imperfeições, mas se tem alguma coisa que ele não agüenta, é não ter o seu coração.

Grãos de areia

•Julho 30, 2008 • Deixe um Comentário

Você sente que ainda é tempo? Sabe, amizades são como uma praia. A água é o mundo, nós somos os bilhões de grãos de areia que submergem nela e as ondas são as tribulações. Podemos permanecer unidos por minutos, horas, dias e até anos. Mas pode ser que passe uma onda e nos separe para bem longe, tão longe que poderia ser lançado para fora da imensidão do mar. Assim como podemos nos encontrar depois de um abalo como uma tsunami. A amizade é isso, elas vêm e vão, as vezes voltam e as vezes não. Se você sente que ainda é tempo de ter esse reencontro, ou um encontro, vem até mim, pois estou te esperando.

O tempo

•Julho 21, 2008 • 1 Comentário

Ser ou não ser, eis a questão. Dito isso parece sátira sobre poesias, mas apenas significa instabilidade e preocupação. Ser quem você é, quem gostaria de ser ou o que deveria ser? Afinal, nem eu me conheço por completo. O intelecto confunde a mente. Reagente de toda tribulação, busco a fé e ganho forças para tentar entender. Mas o caso não é você entender e sim viver. Alguém tem um plano, e com olhos humanos eu não enxergo a finalidade, só vejo as dificuldades serem criadas, mas as alegrias que são boas, nada.

Queremos tudo de imediato, tudo na hora, como se fosse instantâneo. Mas a realidade, é que o tempo é a escola do amadurecimento e com ele eu vou crescendo e me conhecendo. Independente de tudo que venho a viver, nada consegue me enlouquecer. A distância gosta de medir forças com a amizade, mas a verdadeira não se deixa abalar. Pois o tempo é meu amigo, ele me mostra o íntimo e revela os covardes.

O tempo me ensina a viver, e esperar até o certo dia acontecer.
O tempo me da paciência, e com ela eu sei me dar com o sem esperança.
O tempo me da alegria, pois com ela eu sei valorizar a companhia.
O tempo é Deus, pois com ele, eu posso viver, mas sem ele o que eu iria ser?

Meu amigo

•Julho 7, 2008 • 2 comentários

Poesias e poemas. Palavras ao vento que viram sentimentos. Escrever é uma arte e rimar faz parte. Amor incondicional, afeição sem limites. Como eu amo você. Amigo do peito, das sábias palavras e do abraço consolador. Ternura criada em vaso e com o tempo vira árvore. Sanidade nas raizes criam galhos e com teu carinho gera fruto de amizade.

Me

•Junho 29, 2008 • 1 Comentário

 

Escrevendo sem rumo, acabo me perdendo. Penso em um milhão de coisas, um turbilhão de pensamentos. Em vão, pois do nada, desaparecerão. Olhe a vida, ela é justa? Vai saber, quem sou eu pra dizer. Se todo o mundo fosse como eu gostaria, seria uma perdição.

 

Sensível em algumas horas e pervertido em outras. Escritor ousado só por palavras. Frente a frente te encaro nos olhos mas não te revelo as verdades que realmente tenho sobre o mundo.

Fingido? Longe disso. Olhe para si e olhe e para os outros. Você é igual a todos.

São fases

•Junho 20, 2008 • Deixe um Comentário

 

Por todas as coisas que passei, agora só me resta esperança. Meu presente hoje já não é tão semi perfeito como antes. Sobre todas as irresponsabilidades que pratiquei, agora pago o preço. Não pago o preço com má vontade e sim o contrário, e com muito gosto. As vezes precisamos cair para então aprendermos a nos levantar. Hoje é o que se passa. Aprendendo a me levantar. Sob todas as conseqüências em que vivi, agora me isolo de tudo e de todos para que possa finalmente dar os primeiros passos sem a ajuda de ninguém.

 

Obrigado Deus por a cada dia me fortalecer e me dar ânimo. Agradeço aos amigos que estiveram ao meu lado a cada dia escutando meus desabafos, minhas vontades, minhas angústias e meu desespero.

 

Por todos os sentimentos em que vieram a minha cabeça, não posso desmerecê-los. Talvez tenha sido eles que me fizeram ter raiva o suficiente em olhar para a verdadeira besteira que passei por todo esse tempo e dizer com plena convicção: eu acredito em mim, eu posso mudar.